Paysandu Sport Club  Selo do centenário
Logotipo Sócio Bicolor - Seja você mais um sócio Bicolor!
  • 1mil
  • 2mil
  • 3mil
  • 4mil
  • 5mil
  • 6mil
  • 7mil
  • 8mil
  • 9mil
10mil
Sócios
Bicolores!
Adimplentes
Já somos Sócios Bicolores Adimplentes
HOMENOTÍCIAS Minha história, meu amor! 12 anos da conquista da Copa dos Campeões
04 de Agosto de 2014

12 anos da conquista da Copa dos Campeões

Lembram daquele 4 de Agosto de 2002, em uma tarde de sol forte e escaldante na capital do Ceará, sob a pressão que o Estádio Castelão (hoje, Arena Castelão) vivia sob aquele momento único e primordial na vida de cada jogador? Pois é, lá, os guerreiros bicolores fizeram a história acontecer, e quis o destino que o caneco de Campeão dos Campeões desembarcasse em solo Amazônico. Um feito que não se pode jamais esquecer, de tal forma, de deixar passar e não reverenciar os ídolos daquele jogo que serviu como o passaporte do Paysandu para a Taça Libertadores da América de 2003.

O Paysandu havia conquistado o direito de participar da terceira e última edição da Copa dos Campeões após ganhar o título da última edição da Copa Norte, também em 2002, em cima da equipe do São Raimundo, do Amazonas, por 3 a 0, em um dia de festa e alegria no Estádio da Curuzu. O meia Lecheva foi o artilheiro da competição, marcando 9 gols no geral.

Após a conquista do título regional, o clube paraense garantiu a sua passagem para a Copa dos Campeões. Nela, 16 equipes estavam na disputa para a tão sonhada vaga para a Taça Libertadores da América do ano seguinte. No grupo do Paysandu, estavam, o Fluminense-RJ, o Náutico-PE e o Corinthians-SP. No fim, o Paysandu acabou terminando a primeira fase da competição na primeira colocação, com 5 pontos conquistados, empatado com o tricolor das laranjeiras.

Nas quartas de final, o Paysandu se deparou com a forte equipe do Bahia, onde as duas equipes travaram um verdadeiro duelo. Mas no final, os bicolores garantiram a vitória por 2 a 1, e o encontro com Palmeiras do goleiro Marcos, que estava com mais de 270 minutos sem sofrer um gol, desde a Copa do Mundo daquele ano, onde ele foi campeão com a Seleção Brasileira. Mas o Paysandu se agigantou diante dos adversários, e Albertinho comandou a festa bicolor no Mangueirão, com os 3 a 1 que garantiu a classificação do Paysandu para a grande final da competição.

O primeiro jogo entre Paysandu x Cruzeiro realizado no Estádio Mangueirão, com a presença de mais de 40 mil torcedores alvicelestes para apoiar o Paysandu em busca da vantagem para o jogo de volta. Só que os bicolores acabaram perdendo para os adversários dentro de casa por 2 a 1. O que dificultava consideravelmente a conquista do título, mas que não desanimava o elenco bicolor que estava focado para a conquista desse título.

Em Fortaleza, local da grande final da Copa dos Campeões, uma verdadeira avalanche bicolor invadiu a capita do Ceará para apoiar o Paysandu em busca do título inédito. No jogo, que teve nove gols marcados, o 4 a 3 em favor do Paysandu fez com que a decisão do título fosse para a marca do pênalti. Lá, os 3 a 0 em favor do Paysandu, com os gols de Gino, Velber e Luís Fernando, e as três defesas do goleiro Marcão, escreveram na história do futebol brasileiro o grande feito que o Paysandu fez acontecer.

 

O eterno Campeão dos Campeões, o único representante da Região Norte do Brasil a ir para uma edição da Taça Libertadores da América, o maior representante do futebol da Amazônia, o Papão da Curuzu, que comemora os 12 anos da conquista marcada na sua história centenária e também no seu escudo oficial. 

Texto: Ronaldo Santos / Edição: Pam Sames
Imagem: Divulgação










  • Compartilhe
    o site do Papão

  • Siga no Twitter

    @Paysandu
PATROCINADORES

Alubar Husqvarna Banpará Vegan Nation Drogarias Globo Mirella - Farinha de Trigo Trigolino Sky