Paysandu Sport Club 
HOMENOTÍCIAS Memória Bicolor A maratona de um craque
10 de Dezembro de 2013

A maratona de um craque

É válido falar de um “desdobro” nascido da esperteza dos dirigentes bicolores no campeonato paraense de 1948. Esperteza que não faria o Paysandu chegar ao hexacampeonato, mas ajudaria a consagrar Manoel Pedro como um dos craques de uma geração de feras, do Vovô da Cidade. Embora não tenha sido campeão naquele ano, o futebol daquela onzena ficou marcado.

O incidente aconteceu em uma partida amistosa disputada na Curuzu em 4 de abril de 1948, sendo o bicolor paraense goleado pela Tuna Luso por 5x1. Contudo, não foi o placar elástico que eternizou a partida, mas a indisciplina do genial Manoel Pedro, que agrediu de forma grave o árbitro Pedro Silva, o Doca, proporcionando aquelas confusões cotidianas em jogos dramáticos. Um craque “esquentadinho”, mas com crédito pelo brilhante futebol que jogava, dando vazão ao típico protecionismo ao ídolo.

Pois bem. A peripécia do meio-campista não saiu barato para o Paysandu: O Tribunal Desportivo aplicou uma severa punição que obrigaria Manoel Pedro a cumprir, nada menos que, 13 partidas de “gancho” e não jogaria mais na temporada.

Mas a genialidade da diretoria, comandada por Cláudio José de Lima, resolveu dar o ar da sua graça para contar com o talento do rebelde craque. O Paysandu protocolou em 24 de abril de 1948 na Federação, uma maratona de 13 partidas amistosas, realizadas quase que seguidamente para que a suspensão fosse cumprida. A manobra “colou”, e o “Papão” pôde contar com a habilidade de Manoel no Campeonato Paraense. O Paysandu não ganhou o título, mas valeu o esforço. Manoel Pedro já era ídolo, participou de forma brilhante de todos os títulos do pentacampeonato bicolor (1942-1947) e da lendária goleada de 7x0 em 1945, em cima do rival Remo.

A imprensa paraense, especialista em nomear feitos, apelidou a maratona de “Torneio Manoel Pedro”, “Maratona Manoel Pedro” ou até mesmo “Quinzena Manoel Pedro”. O Paysandu jogou 13 partidas em 16 dias, marcando 50 gols e sofrendo 22, ficando com um saldo de 28 gols.

Era válido arriscar e Cláudio José foi corajoso. O Paysandu perdeu o título, é verdade, mas perdeu de forma digna, como só os grandes clubes perdem. E quanto ao “esquentadinho” Manoel Pedro? Tomou o caminho que lhe era de direito: o tapete vermelho, destinado aos grandes atletas que desfilaram pela Curuzu.

JOGOS DA “MARATONA MANOEL PEDRO”.

1º JOGO – Paysandu 5 x 3 Dramático (27 de Abril de 1948)
2º- JOGO- Paysandu 4 x 1 Auto Clube (28 de Abril de 1948)
3º JOGO- Paysandu 5 x 3 Dramático (30 de Abril de 1948)
4º JOGO- Paysandu 1 x 1 Auto Clube (1º de Maio de 1948)
5º JOGO- Paysandu 3 x 3 Paulista (2 de Maio de 1948)
6º JOGO- Paysandu 5 x 3 Dramático (4 de Maio de 1948)
7º JOGO- Paysandu 5 x 1 Auto Clube (5 de Maio de 1948)
8º JOGO- Paysandu 4 x 0 Bancrévea  (6 de Maio de 1948)
9º JOGO- Paysandu 7 x 3 Dramático (8 de Maio de 1948)
10º JOGO-  Paysandu 3 x 2 Auto Clube (9 de Maio de 1948)
11º JOGO- Paysandu 2 x 1 Dramático (10 de Maio de 1948)
12º JOGO- Paysandu 3 x 1 Paulista (11 de Maio de 1948)
13º JOGO- Paysandu 4 x 1 Recreativa (12 de Maio de 1948)

Texto: Vincenzo Procópio/Edição: Fernando Torres
Imagem: Ferreira da Costa


Anterior Próximo

VEJA OS JOGOS DO PAPÃO











  • Compartilhe
    o site do Papão

  • Siga no Twitter

    @Paysandu
MATERIAL ESPORTIVO

Lobo

PATROCINADORES

Banpará Fisiocenter Multimarcas Drogarias Reinafarma GAV Resorts Alubar Unimed Belém Cerpa
NBet91 Cartão de Todos Zilmar esamaz


PARCEIROS

Trigolino Equatorial Porto Dias Amaral Costa Mirella sky